17 de fevereiro de 2017

Olha o Metallica aí, gente!

Bloco "Quero morrer amigo do Metallica" vai tocar clássicos da banda em ritmo de samba. Apresentação acontece dia 26/2, em São Paulo.  
Foto: Divulgação. 

Os fãs menos radicais do Metallica (como eu), certamente vão curtir a apresentação do bloco Quero morrer amigo do Metallica, que acontece no domingo de carnaval (26), em frente a Galeria do Rock, em São Paulo, a partir das 15h. 

O maestro Cadu Bygton e os músicos do Drunk' em All tocarão clássicos da banda como - "Seek And Destroy”, “Enter Sandman” e “One” - em ritmo de samba, maracatu e chorinho.

Curte Metallica? Curte carnaval de rua? Ta aí uma excelente pedida! Abaixo, trecho da versão que eles fizeram para "Seek and destroy".



O que: Bloco Quero morrer amigo do Metallica.
Quando: Domingo, 26 de fevereiro, a partir das 15h 
Onde: Rua Vinte e Quatro de Maio, 62, São Paulo - SP
"De grátis"

18 de dezembro de 2016

Crítica: Designated Survivor


Nova série tem Kiefer Sutherland, astro de "24 Horas", como o presidente "por acaso". Foto: Divulgação.

Kiefer Sutherland foi, por nove temporadas (com altos e baixos), o agente Jack Bauer da série "24 Horas", sucesso de público e crítica, que acabou restaurando a carreira de Sutherland. Obviamente, o ator ficou marcado pelo papel e os filmes e séries em que ele se envolveu após o término de "24 Horas" não fizeram tanto sucesso.

E eis que ele retorna a um papel fixo na TV, desta vez em "Designated Survivor". Distribuída mundialmente pela Netflix (lá nos states a ABC está exibindo os episódios), o seriado, criado por David Guggenheim, ("Protegendo o Inimigo" e "Bad Boys 3" - ainda em produção), tem a "cara" de Kiefer e lembra muito o seu maior sucesso. 

Dessa vez, no entanto, o astro não é um agente, mas o "sobrevivente designado" do título, que assume a presidência dos Estados Unidos após um - vejam só! - ataque terrorista que matou o presidente e todos que poderiam substitui-lo na Casa Branca, sobrando a "bucha" para Tom Kirkmann (Sutherland), um secretário secundário do governo que vira o "chefão por acaso". 

Não há como não associar a imagem do ator a Jack Bauer - mas apesar dos óculos do personagem e o ar de canastrão - a bela interpretação do ator, aqui dando vida a um cara muito menos decidido que Bauer, compensa. 

Conspiração, traição e muita gente torcendo para que o "novo" presidente se dê mal. Essa é a premissa da série, que entrega boas doses de suspense e tensão, além de belas interpretações de Natascha McElhone ("Californication") como a primeira-dama, e Adam Canto ("X-Men - dias de um futuro esquecido" e "The Following"), como o dúbio chefe de gabinete Aaron Shore. Bem-vindo de volta, Jack, digo Kiefer!

A primeira temporada de "Designated Survivor" terá 22 episódios e seis já estão disponíveis no catálogo da Netflix. Abaixo, o trailer.

17 de novembro de 2016

Crítica: Metallica "Hardwired... to Self-Destruct"

Álbum é um dos melhores da banda. Foto: Divulgação. 

Há pouco mais de 5 meses, dei uma zoada no fato de o Metallica anunciar que seu novo disco, até então sem título, sairia em 2016. Chamei de Chinese Democracy, "álbum" do Guns & Roses que demorou décadas pra ficar pronto. 

E claro que eles estavam falando sério, "Hardwired... to Self-Destruct", décimo álbum de estúdio, chega às lojas amanhã, mas já plenamente conhecido desde a madrugada, quando os caras resolveram, a partir de ontem, divulgar 7 clipes das faixas do CD - eles já haviam soltado "Hardwired", "Moth in the flame" e "Atlas, rise!". 

A minha relação de fã me permite ser taxativo: esse é um dos melhores discos do Metallica, mas o Metallica dessa nova era pós black-album. As três faixas já lançadas são excelentes e mostram toda a influência que a banda teve de Iron Maiden, Black Sabbath e, claro, Motörhead.

Há espaço para referências aos tão criticados "Load" e "Reload" em "Halo of fire", "Am I savage?" e "Dream no more" - essa me lembrou bastante "The house Jack Built" e "Poor twisted me". "Confusion", cujo clipe mostra, mais uma vez, cenas de guerra e "Here comes revenge" destoam um pouco do álbum duplo, mas nada que comprometa.

Agora as excelentes surpresas ficam por com de "ManUNkind", "Murder one" - homenagem ao grande Lemmy Kilmster e a pedrada "Spit out the bone", em que temos ali um pequeno solo de Robert Trujillo que - finalmente - como bem lembrou o parceiro Dionisius Amendola - consegue mostrar toda a sua qualidade de baixista. Como a gente gosta sempre de dizer: "Metal up your ass"

Bônus

"Hardwired... to Self-Destruct", além de um disco duplo, terá uma versão tripla, incluindo a versão final de "Lords of summer", - que fala das longas turnês dos caras - covers de Iron Maiden, Deep Purple e um medley homenageando Ronni James Dio, além de faixas ao vivo.

Abaixo, o primeiro single "Hardwired"








Postagens mais antigas → Página inicial

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.